Voltar ao topo.Ver em Libras.

Com automação de fábrica, Novo Nordisk quer reduzir erros operacionais

« Mais recente🛈Categoria:Geral
ImprimirReportar erroTags:laboratório, processo, está, processos, pela, novo, nordisk e atividade393 palavras6 min. para ler

Laboratório adota plataforma para automatizar fábrica localizada em Minas Gerais com vistas à eliminação de processos manuais
Automatização de processos é uma atividade perseguida por diversos setores da economia, seja pela busca de ganhos de produtividade, redução de erros ou mesmo melhoria na qualidade de serviços prestados. O segmento financeiro é uma das verticais que mais investe e tira benefício de processos automatizados, mas a tendência é que isso se permeie cada vez mais companhias que atuam em diversas frentes. O laboratório Novo Nordisk, grande fabricante de insulina, por exemplo, está, neste momento, com um grande projeto em andamento para melhorar a eficiência da fábrica instalada em Montes Claros (MG) e, para isso, aposta em uma plataforma de automatização.

Dividido em três fases, até para minimizar riscos e impactos à operação, a previsão é que o projeto esteja concluído em fevereiro do ano que vem. Desde o início deste ano, entretanto, eles contam com parte da atividade automatizada e já conseguem mensurar resultados positivos, como contou em entrevista Cesar Ribeiro, gerente de projetos da empresa e também responsável pela TI do laboratório.

"O grande benefício é reduzir os erros operacionais e a possível rejeição de lotes na formulação de insulina. Outros benefícios incluem padronização do processo, mais eficiência na revisão da documentação do lote (folha de processo eletrônica), maior segurança do processo por meio do uso de ferramentas como Audit Trail, controle de acesso e assinatura eletrônica”, detalha Ribeiro.

A redução de erros operações citada pelo executivo está muito ligada à substituição de processos manuais por automatizados. Um dos exemplos citados pelo executivo é a atividade que envolve conferência de peso, adição de água, agitação e medição de temperatura durante a produção dos fármacos. Antes, tudo era feito por um operador e outro profissional fazia a conferência do parâmetro para dar sequência ao processo. "Este tipo de verificação manual já levou a rejeições de lotes no passado”, lembra.

Para essa renovação na fábrica, a Novo Nordisk escolheu a Iastech, provedora especializada em automação industrial. Como informou Ribeiro, apenas a fabricante apresentou proposta formal com uma solução adequada à necessidade do laboratório.  A implantação está sendo conduzida pela equipe da própria companhia e a TI da Novo Nordisk da França também está tendo participação importante, por ter implantado solução semelhante em 2006. O investimento no projeto não foi revelado.

Fonte:http://informationweek.itweb.com.br/